sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Mensagem da semana


Busque viver sem medo de ser feliz!
Quando se sentir feliz viva isso com toda intensidade, esqueça aquilo que diziam os antigos "se você rir muito hoje vai chorar amanhã", delete essa frase da memória e se estiver com vontade de rir à toa, abraçar o mundo, faça isso, ame, sorria, abrace e viva sem medo!

Busque amar sem esperar recompensa!
Ame pelo simples prazer de sentir o amor vibrando em seu coração, se o outro não vê isso, ame assim mesmo, amar só faz bem. Mas lembre, não torne o objeto de seu amor na razão de sua felicidade, precise só de si mesmo para ser feliz.

Busque fazer o bem!
Dê a si mesmo um propósito: em cada dia de sua vida, a partir de hoje, pratique um ato de bondade. Pode ser um simples olhar amoroso para alguém desconhecido que você sinta a necessidade desse ser em receber compaixão. Pode ser uma conversa em que você ouça mais do que fale. Pode ser um abraço, um sorriso, um pão, um estender a mão. Deixe a bondade o envolver.

Busque silenciar!
Silenciar as palavras amargas, os resmungos de desaprovação, as raivas. E busque também ter seu tempo de silêncio, aquela parar tudo, fechar por alguns instantes os olhos, respirar, deixar-se envolver em seu próprio silêncio.

Busque agradecer!
Que a gratidão seja seu primeiro pensamento ao acordar e seu último pensamento ao ir dormir. Quem agradece é mais feliz!

Busque sorrir!
Um sorriso ilumina seu rosto, traz alegria à sua vida e proporciona alegria à vida das outras pessoas. Deixe um sorriso leve nos lábios e mande uma mensagem ao seu cérebro que tudo está bem, acredite, isso opera maravilhas!

Ame, faça o bem, silencie, agradeça, sorria e sem medo, seja Feliz!

domingo, 18 de julho de 2010

Mensagem da semana


Aproveitando o clima de romance da lua crescente a nossa frase da semana tem a ver com amor.
Estou lendo um livro (Amor em Minúscula, de Francesc Miralles) que comprei num impulso, exatamente pelo nome, estou gostando bastante, é leve e às vezes precisamos dessa leveza nas leituras para nos sentirmos mais leves na caminhada.
O personagem fala à sua amada sobre o que é amor em minúscula:
"_ Uma pessoa faz um pequeno gesto bondosos e isso desata uma cadeia de acontecimentos que lhe devolvem um amor multiplicado. Ao final, embora você queira voltar ao ponto de partida, não é mais possível, porque o amor em minúscula apagou qualquer caminho de volta ao que existira antes."

Quem sabe você dê a alguém nesta semana um gesto bondoso que desperte nela ou nele um amor em minúscula? Afinal, fazer uma pessoa se sentir melhor é algo que "não tem preço".
Boa Semana!

A energia da semana - Lua crescente

Na primeira postagem sobre a energia da lua crescente, citamos que nessa fase devemos ser perseverantes, não deixar a peteca cair, mesmo havendo no ar uma certa tendência para desistir, como na luta da semente para desabrochar. A energia vital luta para tomara forma na matéria, tudo brota e cresce, disputando seu espaço.
Nessa postagem vamos deixar dicas bem práticas sobre a energia da lua crescente, anote e aproveite!
Trabalho/negócios:
* Bom período para pedir aumento de salário;
*Ótimo para divulgação de produtos e serviços em larga escala;
*Se acelerarmos o ritmo de trabalho (sem estresse), a chance de sucesso será maior;
*Fase ideal para cobrar quem está nos devendo;
*Boa fase para investir e comprar imóveis.
Saúde/beleza:
* Bom período para cirurgias, transplantes e chek-up, pois os exames e diagnósticos serão mais precisos;
*Fertilidade está em alta, tratamentos de fertilização têm mais chance de dar resultado nessa fase;
*Fase ótima para exercícios e esportes que promovam aumento de massa muscular e condicionamentos físico, pois nossa vitalidade física está a todo vapor;
*Cortar o cabelo na lua crescente faz o cabelo crescer mais fino, sem encorpar;
*A pele absorve melhor os ingredienttes, assim é um ótimo período para tratamentos estéticos e mascáras de beleza.
Relacionamentos:
*
Há um clima de romance no ar, boa fase para se conquistar alguém ou se casar;
*Relações afetivas e de amizade iniciadas nessa fase tendem a se aprofundar;
*As reuniões com os amigos e familiares tendem a ser muito agradáveis;
*Como temos uma compreensão maior com os defeitos dos outros e estamos mais dispostos a aceitar as diferenças, a lua crescente é uma ótima fase para reconciliação.

Resumo da semana:
* Divulgue o que você faz;
*Durante a semana acelere o ritmo de trabalho, mostrando todo seu potencial, assim se você resolver pedir aumento o chefe verá seu esforço;
*Na sexta ou sábado se dê um mimo,quem sabe uma massagem ou máscara de beleza em casa mesmo?; Depois saia com seus amigos ou amor, aproveite o clima bom de romance. Se está de birra com alguém, aproveite para se reconciliar, afinal o bom mesmo é viver em harmonia.
Bem, espero que você tenha gostado das dicas, até a próxima fase!

sábado, 17 de julho de 2010

Primeiro peço desculpas aos seguidores de nosso blog, falhei bastante nas postagens, por compromissos e outras "cositas". Até me assustei quando vi que a última havia sido em Abril.
O tempo é algo realmente imensurável e incrível não é? Às vezes a passagem é tão lenta (quando estamos esperando por algo ou alguém), Ás vezes tão rápido quando estamos vivendo um momento que gostaríamos não acabasse. Acho que cada um aqui já sentiu o que estou falando.
Bem, propus-me esta semana, que entramos na lua crescente, não me deixar dominar pela energia da lua que traz aquela energia de "vou deixar para depois" ou "acho que vou desistir" e colocar em dia as postagens.
Primeiro que começamos a falar sobre os yamas e niyamas e terminei só falando nos Yamas. Vamos aos niyamas então.
Niyamas correspondem aos aspectos internos que devemos desenvolver em nossa busca pelo verdadeiro caminho, que é o espiritual. A busca incessante por aquilo que chamamos de essência. Os niyamas despertam as virtudes da alma e despertam nossa real natureza.
São eles:
SAUCA: é a purificação, mas aquela purificação em todos os sentidos. físico, mental e emocional. No corpo físico, procurar a higiene e asseio pessoal, procurar ter uma alimentação livre de impurezas, se possível vegetariana, ter práticas de limpezas orgânicas(das vias respiratórias e digestivas) e manter limpo o ambiente em que vive. Um organismo poluído por hábitos impróprios, como consumos de drogas, fumo e álcool e uma alimentação baseada só em carnes, gorduras e frituras, gera comportamentos e pensamentos que prejudicam a saúde não só fisica, mas também emocional.
A nível mental é procurar por pensamentos de paz, harmonia e equilíbrio. Uma ótima dica é dizer não a filmes com violência gratuita e que não acrescentam nada à nossa alma.
A nível emocional é a busca pelo auto conhecimento, o deixar para bem longe culpas, mágoas, raivas e desavenças. Quando buscamos estar livres de medos e arrependimentos, buscando viver no bem, a energia ao nosso redor é outra e, consequentemente atraímos para nós energias e acontecimentos positivos também.
SANTOCHA:
O contentamento. Consiste em cultivar um estado interior em que saibamos enfrentar com igual serenidade o prazer e a dor. Parece difícil, não é? E aqui copio uma frase de Pedro Kupfer, em seu livro Yoga Prático. Ele diz: " Lembre que o melhor surfista não é o que surfa a maior onda: é o que tem o maior sorriso nos lábios. O melhor yogi não é o que faz o exercício mais complicado: é aquele que sabe viver melhor a sua vida (o que está estreitamente ligado ao tamanho do sorriso).
TAPAS: é o calor, o vigor interno produzido pelo auto-esforço e pela perseverança. é pelo poder de tapas que queimamos as impurezas internas e nos tornamos prontos para seguir na senda, sem receio ou dúvidas. Tapas fala de força de vontade concentrada quando desejamos algo, austeridade, disciplina, esforço sobre si próprio. Diz no Bhagavad Gitá, XVII: 15-16, "Uma linguagem que não fira, verídica, amigável e benéfica, o estudo regular das escrituras, tal é o tapas da palavra. A serenidade e clareza de espírito, a doçura, o silêncio, o autodomínio, a total purificação do caráter, tal é o tapas consciente"
SWÁDHYÁYA:é o estudo das escrituras sagradas e aqui considero as escrituras sagradas não só dentro do yoga, mas de todas as religiõs ou do caminho espiritual que cada um busca para seu aperfeiçoamento. Este estudo abrange não apenas o autoconhecimento através da reflexão sobre a sabedoria que há em cada uma dessas escrituras, mas também o nosso esforço na aplicação das mesmas. Swádhyáya expande nossa consciência, enriquece e estimula nossa busca pelo Absoluto.
ISHVARA PRANIDHÁNA: é a nossa entrega ao Absoluto, a Deus ou como você entende essa força maior que esta´presente em todo Universo. Ishivara pranidhana também significa entregar nossas ações e os frutos dessas ações a uma vontade superior à própria. A melhor definição está na Bhagavad Gitá: bhavitam bhavati eva: o que tiver que ser, será.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Mensagem da semana



" Existe um estado de ruptura a partir do qual emerge aquilo que é inteiro.
Existe uma fragmentação da qual brota o impossível se ser fragmentado.
Existe uma tristeza que está além de toda dor e que conduz à alegria.
E uma fragilidade de cujas profundezas emerge a força.
Existe um espaço oco que é grande demais para ser descrito,
o qual temos que atravessar a cada perda que sofremos,
e em cuja escuridão somos confirmados para a existência"
Poetisa Rashani




Foto por Daniel F Florêncio

5º Yama - Aparigraha


Aparigraha quer dizer ausência de cobiça, a não possessividade. Ele se traduz melhor quando pensamos em aparigraha como desapego e generosidade. Não ter apego por coisas, nem por pessoas, nem por resultados das coisas que acontecem.O sentimento de posse traz sofrimento, pois quando nos vemos sem o objeto desejado (pessoa ou coisa), nos tornamos tristes, ansiosos. Devemos lembrar do ensinamento budista da impermanência de todas as coisas, nada do que é impermanente pode ser a felicidade num sentido mais profundo.
Podemos praticar a ausência de cobiça praticando a generosidade em atitudes simples: dar, sem querer receber algo em troca, doar aquelas roupas que estão há anos guardadas, sem serem usadas, dar um sorriso sem esperar o sorriso de volta, dar compreensão, antes do querer ser compreendido. Enfim, dar o melhor de você, sem esperar que o outro veja, elogie ou faça igual. Desapego dos resultados. Isto não quer dizer deixar d e sonhar e planejar, mas sim, não fazer disso o essencial à vida.
Aparigraha também significa receber cada momento que surge com uma atitude generosa e paciente.

4º Yama - Brahmacharya - continência


Olá, na semana passada fiquei devendo a atualização do nosso blog, então nessa semana coloco os dois últimos Yamas: bramacharya e aparigraha.
Bramacharya, num sentido mais profundo é o não desvirtuamento da sexualidade. Segundo Marcos Rojo, professor de yoga, o sentido social do princípio de bramacharya é a moderação, que vai da alimentação ao sexo e até mesmo ao uso do dinheiro. Comer em excesso, se deixar levar por um consumismo exagerado, ter vários parceiros sexuais é ir contra bramacharya.
Pense em bramacharya como caminhar com Deus, ou permanecer num comportamento que respeita o Divino como sendo onipresente.

sábado, 17 de abril de 2010

Receita de chá de abacaxi, torta de maça e torta vegana de uva

Que tal uma receitinha gostosa e fácil de fazer pra adoçar seu fim de semana?
CHÁ DE ABACAXI*
Você vai usar:
* Um abacaxi médio
* 4 a 6 colheres de açúcar mascavo
* pedaços de canela em pau e cravos da índia (a gosto)
* 4 a 5 sementes de cardamono (opcional)
* 2 litros de água (fervida com a casca do abacaxi por uns 15 minutos)
Como fazer:
Descasque e lave bem as cascas do abacaxi e coloque-as a ferver nos 2l de água.Corte o abacaxi em cubinhos e coloque em outra panela junto com o açúcar mascavo, cravo, canela e cardamono. Misture e deixe refogar um pouquinho no fogo brando para caramelizar (até levantar uma espuma). Coloque a água fervida e coada com a casca e deixe fervendo em fogo baixo até pegar bem o gosto do abacaxi. Pode ser tomado frio ou quente.

TORTA DE MAÇA E TORTA VEGANA DE UVA:
Massa (tipo farofa) (receita tradicional):
misture 2 1/2 xícaras de farinha de trigo, 1 xícara de açúcar, 1 xícara de maizena, 1 colher (chá) de fermento em pó, 1 colher(chá) de canela em pó. Acrescente 1 ovo, e 150g de manteiga. Misture bem com as mãos até ficar uma farofa.
Massa vegana:*
3 xícaras de trigo integral fino, 1 xícara de açúcar mascavo, 3/4 de xícara de óleo (de preferência óleo de milho ou girassol), 1 colher (chá) fermento em pó, 1 colher (chá) canela em pó.

Recheio tradicional de maça:
Bata no liquidificador 1 lata de leite condensado, 2 gemas e 5 colheres de suco de limão. À parte descasque e corte em fatias finas 1 1/2 maça.
Se você optar por uma receita vegana*, substitua o creme de limão e as maças por uva rosada (4 xícaras, tire as sementes que fica melhor) polvilhadas com canela em pó.
*a receita vegana e o chá de abacaxi são do livro Vegetarianismo Sustentando a Vida, de Mª Laura Garcia Packer (ótimo livro por sinal)

Montagem:
Na forma untada coloque metade da farofa, apertando com as mãos até forrar o fundo da forma. Por cima coloque o creme de limão e maçãs picadas (sem casca). Se for a torta vegana, não utilize o creme de limão, só espalhe as uvas em cima da farofa e polvilhe a canela em pó. Coloque o restante da farofa e leve a assar em forno médio por 30 a 40 minutos (dependendo da potência do seu forno).

Bom apetite!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Mensagem para o fim de semana


É tão bom quando chega a sexta a tardinha, então sabemos que temos dois dias e meio (porque a noite de sexta já parece a metade de um dia) inteiros para nós.Mas você já notou que às vezes pensamos assim no fim da sexta e quando notamos já é domingo à noite, e aí vem aquele pensamento, ai, já acabou o fim de semana. Por que passa tão rápido? Acho que porque passamos o dia sem estarmos realmente presentes no que fazemos, porque acabamos na correria de novo, trabalhando pra lá e pra cá (pra aproveitar o fim de semana, que ironia não é?)
Que tal se propor nesse fim de semana fazer diferente? Que tal sair e fazer algo totalmente novo? Conhecer aquele café que você já passou um monte de vezes na frente e nunca entrou? Ou quem sabe visitar alguém que há muito tempo não vê, se não puder visitar, que tal escrever uma carta? Quem sabe se dar ao luxo de ter um dia de spa em sua própria casa, faz uma lista do que precisa para cremes e banhos, vai cedinho comprar o que precisa e depois, desliga tudo e cuide de você, fazendo só o que tem vontade de fazer. Que tal pegar uma toalha de mesa, uma cesta , encher de guloseimas, quem sabe até um vinho bom e fazer um piquenique? Se não tiver companhia, não se amofine, leve um bom livro e se permita deitar na grama, e se deliciar com a sua própria presença, com o céu azul lá no alto. Se nenhuma idéia lhe agradou, invente algo, deixa a imaginação fluir, mas faça algo diferente, você vai ver como o fim de semana fica "compriiiido". Mas lembre, deguste cada momento com plena atenção.
E copiando Pablo Neruda: "...viva hoje, arrisque hoje, faça hoje. Não se deixe morrer lentamente. Não se esqueça de ser feliz!"
Tenha um lindo final de semana!

3º Yama - Asteya


O 3º yama é asteya, não roubar. Você deve estar pensando, este yama é fácil, eu não roubo, não há nenhum esforço em cumpri-lo. Que bom não é? Já estamos um passo a frente em nossa busca na evolução. Realmente, asteya traz o mandamento de não roubar, mas ele não se refere só ao não roubar propriedade alheia, ele inclui não roubar idéias e o não cobiçar o que é do outro, esse yama traz imbutido a idéia do desapego.
"Residindo na ausência de cobiça pelo que não nos pertence (asteya), tudo que é preciosos se revela, e tudo que é benéfico é livremente oferecido", Resumindo: Quando há apego e cobiça pelo que é do outro, se praticarmos asteya, teremos prosperidade.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O 2º Yama - Satya


Quando há mentira e medo, se praticarmos satya, obteremos poder de realização.
Mas o que é satya? Satya é veracidade, é o amor à verdade. Enquanto ahimsá baseia-se no amor, satya baseia-se essencialmente em fazer coincidir nossos pensamentos com nossas palavras e atos. Por exemplo, se acreditamos que a fidelidade é essencial em uma relação, então seremos fiéis, pois essa é a nossa verdade. Se falamos aos outros que a paz no mundo começa dentro de nosso coração, depois envolve as pessoas de nossa família, as de nosso convívio e depois pela nossa semente, pode se espalhar pelo mundo, então faremos o possível para que essas palavras coincidam com nossos pensamentos e se reflitam em nossos atos, pois essa é a nossa verdade.
Em seu livro sobre Yamas e Niyamas, Matthew Vollmer, escreve: "as palavras de uma pessoa firmemente estabelecida em satya, tem o poder de evocar virtude em outros". Ouvir palavras que expressam a verdade nos ajuda a experimentar a verdade dentro de nós.
Então, procurando viver em satya, trazendo sempre à tona a coerência entre o que pregamos e fazemos, não somente nos ajuda a viver melhor, mas também contribui para o bem estar de todos com quem cruzarmos o caminho. E se cada um de nós procurar viver assim, então seremos capazes de mudar o mundo inteiro. Quando nos comprometemos com a verdade ocupamos nosso pensamento com o que é essencial.
Os yamas e niyamas se entrelaçam de uma maneira integrada. Sendo assim a verdade sempre deve estar alicerçada no bem e deve ser dita não para ferir, mas sim para beneficiar. Há maneiras e maneiras de se falar a verdade, e devemos fazê-lo sem machucar, pois se ferimos, não produzimos harmonia, apenas sofrimento.
Gandhi dedicou sua vida a dois yamas: ahimsá (a não violência) e satya (a veracidade) e através dessa dedicação ele dominou a si mesmo e conseguiu a independência da Ìndia.
Quando se está firme em satya, meditamos com o coração puro e tudo que precisamos vem ao nosso encontro.

"Conhecerás a verdade e a verdade vos fará livres" (Jesus)

terça-feira, 6 de abril de 2010

Mensagem da semana

Hoje o dia amanheceu tão frio e úmido e alguém me disse "disseram que hoje vai fazer sol", respondi "só se for do outro lado do planeta", sem nenhuma esperança que o dia fosse ser diferente.
E agora, olhando pela janela, observando o sol lá fora e o azul claro do céu entre as nuvens, pensei, tenho que escrever sobre isso, a chuva passou, o frio continua um pouquinho, há um vento suave lá fora (acho que esse vento suave levou as nuvens de chuva embora) e tudo mudou e lembrei do que me disseram hoje cedo (hoje vai fazer sol).
Assim acontece às vezes em nossa vida, quando acordamos naqueles dias tristes (frios e úmidos em nosso coração) e alguém nos diz "coragem, isso passa" (o sol vai brilhar hoje), geralmente pensamos "diz isso porque a dor não é sua"(só se for do outro lado do planeta). Mas quando deixamos que o vento suave de nossa fé, fé em Deus ou se você preferir, numa energia maior, divina, que nos protege, quando deixamos que o vento suave da fé em nós mesmos nos oriente e traga novamente aquela confiança que tudo sempre vem para melhor (por pior que seja a tempestade) conseguimos sentir que o sol pode sim voltar a brilhar, que o céu azul pode voltar a aparecer, brilhando suavemente entre as nuvens brancas...acredite, tudo passa, tudo muda.

E mais ou menos como li numa frase de Ghandi "Viva como se você fosse morrer amanhã e busque conhecimentos, vida, aprendizado, amor, como se você fosse viver eternamente"

Namastê! Um lindo dia de sol em seu coração!

quarta-feira, 31 de março de 2010

Mensagem da semana

Esta semana a nossa mensagem é novamente uma estória em que mostra que podemos aprender com nossos erros e nos tornarmos seres melhores. É uma estória da tradição budista:

" Zenkai, o filho de um samurai, viajou para Edo e lá virou empregado de um alto oficial. Ele se apaixonou pela mulher do oficial e foi descoberto. Para se salvar, matou o oficial e então fugiu com a mulher.
Mais tarde, ambos se tornaram ladrões. Mas a mulher era tão gananciosa que Zankai sentiu repulsa por ela. Por fim, deixando-a, ele viajou para longe, para a província de Buzen,onde se tornou um mendicante andarilho.
Para se reconciliar com seu passado, Zenkai resolveu realizar uma boa ação na vida. Sabendo sr uma estrada perigosa, sobre um precipício, que tinha causado morte e acidente para muitas pessoas, ele resolveu escavar um túnel naquela montanha.
Esmolando comida de dia, Zenkai trabalhava, cavando o túnel à noite. Depois de trinta anos, o túnel tinha 700 metros de comprimento, 6 metros de altura e 9 metros de largura.
Dois anos antes de o trabalho terminar, o filho do oficial que ele tinha matado, um hábil espadachim, encontrou Zenkai e resolveu matá-lo , para vingar o pai.
"Eu lhe entregarei minha vida de boa vontade", disse Zenkai. "Apenas me deixe terminar este trabalho. No dia em que estiver terminado, então você poderá me matar."
Assim, o filho esperou pelo dia. Vários meses se passaram e Zenkai continuou cavando. O filho se cansou de não fazer nada e começou a cavar também. Depois de ajudar para mais de uma não, percebendo o quanto aquela tarefa tinha sido difícil, ele admirou a vontade e o cárater fortes de Zankai.
Por fim, o túnel estava terminado e as pessoas poderiam viajar em segurança.
"Agora, você pode cortar a minha cabeça", disse Zankai. "Minha tarefa acabou"
"Como posso cortar a cabeça do meu próprio professor?", indagou o jovem. E as lágrimas escorreram por seu rosto."

"O segredo da vida é acordar todas as manhãs determinado a deixar mais bem do que dor em minha caminhada"(Joan Chittister)

Um pouquinho de yoga


Olá, hoje vamos começar a ver cada Yama em sua forma mais clara.
O primeiro dos Yamas é ahimsá, a ausência de violência.
Ahimsá é o respeito incondicional a toda manifestação de vida, animal, vegetal, mineral e, inclusive, o respeito por nós mesmos. Entende-se essa não violência ao não matar,não agredir, nem causar nenhum tipo de dor a nenhum ser vivo.
Ahimsá é a não violência de forma ampla, não só a não agressão física mas também a agressividade manifestada em palavras ou pensamentos de raiva, é o controle de qualquer manifestação negativa ou violenta que se manifeste em nós.
"Fazer aos outros o que gostaria que lhe fizessem".
O apoio à ecologia é praticar ahimsá, quando cuidamos no separar o lixo, no não desperdiçar a água, no não maltratar os animais, no não destruir árvores e plantas, estamos praticando a não violência contra a natureza.
O monge terapista Thomas Merton disse em certa ocasião que "permitir-se ser arrebatado por um sem número de preocupações conflitantes, render-se demasiadamente a diferentes exigências, comprometer-se com projetos em demasia, querer ajudar a todos em tudo é em si sucumbir à violência dos nossos tempos".
Às vezes é difícil percebermos que estamos praticando a violência contra nós mesmos, mas ao ler essa citação dá para percebermos o quanto atitudes como as citadas acabam nos ferindo. Pode ser a nível mental ou emocional(por isso tantos casos de depressão em nossa era), até atingir níveis físicos, onde o stress acaba por afetar nossa saúde.
Vamos combinar duas coisas para nossa semana? Praticar a não violência e escolher um dia, ou algumas horas, para ter um tempo só seu, para não fazer nada que se relacione a trabalho ou obrigação, faça o que puder sem cobranças internas e sem deixar que as cobranças externas o afetem.

"Atendo-se à não violência (ahimsá), cria-se um ambiente em que a hostilidade cessa"

quarta-feira, 24 de março de 2010

Mensagem da semana

O rei e o ladrão

Uma vez, um ladrão quis aprender yoga. Foi visitar um mestre e disse a ele que era ladrão, bêbado e mentiroso. Então o mestre falou que antes dele praticar yoga, teria que escolher um dos yamas e niyamas e ater-se a ele. O ladrão pensou:"minha profissão é roubar, é o que sustenta minha família, portanto, fora de questão, asteya (não roubar). Gosto muito de beber, é minha única fonte de prazer, então brahmacharya (controle sobre os sentidos: comida, bebida e sexo), nem pensar. Mas, deixar deixar de mentir (satya) não vai ser difícil. Vou seguir satya". Assim o ladrão decidiu viver dentro da verdade.
Uma noite nosso ladrão resolveu roubar o palácio real de uma cidade longe da sua. Eis que na mesma noite o rei andava pelos jardins do palácio entediado com aquela vida, buscando algo que o ajudasse a sair daquele vazio existencial. Os dois se encontram e o rei pergunta: "quem é você?" O ladrão diz a verdade: "sou um ladrão e vim roubar o tesouro real". O rei viu ali a possibilidade de viver uma aventura e encontrar a emoção que procurava desde cedo e, quando o ladrão perguntou-lhe quem ele era, o rei disse que também era ladrão, que conhecia onde era guardada a chave da sala do tesouro e que poderiam fazer o "serviço" juntos, dividindo igualmente o lucro. O ladrão concordou.
Os dois entram no palácio, chegam na sala do tesouro e dividem tudo de forma igual. Porém ao final encontram três enormes diamantes, que não podem ser divididos sem beneficiar a um ou outro. Então o ladrão, disse "vamos deixar este diamante para o rei, coitado, afinal roubamos todo seu tesouro." Ao separar-se no jardim, o rei pede ao ladrão seu endereço, para contatá-lo para futuros trabalhos. O ladrão fala a verdade.
No dia seguinte, o rei vislumbra a possibilidade de testar seu primeiro ministro. Chama-o e diz que teve um sonho: o tesouro real havia sido roubado e manda o ministro conferir a sala do tesouro.
Chegando lá o ministro constata o roubo mas vê que tinha sobrado um diamante e pensa "o nosso rei perdeu absolutamente tudo, este diamante não fará diferença nenhuma". esconde a pedra e volta ao rei contando o ocorrido: "não havia sobrado nada na sala do tesouro"
O rei manda buscar o ladrão, ele conta tudo desde o inicio, até o detalhe que havia sobrado um diamante.
O rei então vê que seu ministro não é de confiança, pois mente e rouba. despede o primeiro ministro e nomeia seu novo amigo, o ladrão, para ocupar o cargo.
Este, dado sua nova ocupação, deixa de roubar. E, como passou a ter outros prazeres, deixou igualmente de beber.

A moral de nossa estória: se escolhemos um dos yamas ou niyamas para seguir, os outros acontecerão sozinhos.
Vamos experimentar?

Yamas e Niyamas - mais um pouquinho de yoga

Você já ouviu falar em Yamas e Niyamas? São os dois primeiros passos, segundo Patanjali, (sábio, codificador do Yoga clássico, que calcula-se tenha vivido entre os séculos II a.C. e IV d.C.) dentro do yoga para alcançarmos a iluminação de nosso espírito.
Vamos durante as próximas semanas falar um pouquinho sobre Yamas e Niyamas.
Yamas, são atitudes externas, a procura de uma conduta moral e ética sadia. MªLaura Packer, em seu livro, A senda do Yoga, diz que, Yama significa morte, ou seja, fazer morrer tudo que em nós se torne um obstáculo para nosso crescimento, para a busca de nossa essência. Segundo Pedro Kupfer yama significa controle ou dominio. Os Yamas são as cinco proscrições: não violência (ahimsa), veracidade (satya), não roubar (asteya), ter controle sobre os sentidos (brahmacharya) e a não possessividade (aparigraha).
MªLaura Packer cita em seu livro que Niyamas caracterizam o florescimento das virtudes da alma e despertam nossa natureza real. Os Niyamas são a busca pela pureza (sauca), pelo contentamento (santocha), pelo auto esforço (tapas), pelo estudo de si mesmo e das escrituras sagradas (swadhyaya) e a entrega ao Absoluto (Ishvara pranidhana).
A cada semana vamos falar de um deles, hoje a nossa mensagem se baseia numa estória que fala em yamas e niyamas. Espero que você goste!

Um pouquinho de yoga

Quando se fala em yoga, ou as pessoas já se imaginam sentadas, em posturas de lótus, entoando o "Om" ou pessoas em posturas"contorcionistas" que, em nosso dia a dia, poucos conseguem fazer. Contudo o yoga não se resume só em ficar sentado em meditação ou praticando ásanas (posturas), o yoga vai muito além.
A primeira coisa que aprendemos quando iniciamos um curso de formação em yoga é que Yoga significa união. Após alguns anos de prática sinto que o yoga é ao mesmo tempo essa união com o Divino, fora e dentro de nós e ao mesmo tempo é o caminho que leva a essa união. E aqui copio as palavras de Pedro Kupfer, em seu livro Yoga prático :"Yoga é consciência; transformação da consciência humana em consciência divina".
Mas você pode se perguntar: como que praticar yoga vai me levar à essa consciência? Aí o porque daquelas frases tão usadas nas nossas práticas :"respire com consciência"; "perceba as sensações de seu corpo"; "observe seus pensamentos enquanto permanece em sua postura". Todas essas percepções nos trazem ao momento presente, faz com que estejamos na observação de nós mesmos e é nessa observação que vamos entrando em contacto com nossa essência divina.
Uma vez li que devemos prestar atenção em como reagimos dentro de uma prática de yoga, diante de um ásana fácil (se nossa atitude é de désdem pela postura e a fazemos de qualquer maneira, ou se damos o melhor, mesmo que aquilo seja muito fácil) e diante de um asana difícil (se nossa atitude é de tentar superar nossa dificuldade ou se já desistimos, antes mesmo de começar), no texto dizia que geralmente nossa atitude diante de um ásana é a mesma diante da vida, e do que ela nos apresenta.
Algo a se pensar, não é? Em sua próxima prática esteja ciente dessas palavras e se observe.

"É tão solitário quando você não conhece nem a si mesmo"
Red Hot Chili Peppers

quarta-feira, 17 de março de 2010

Mensagem da semana

Essa semana a nossa mensagem é copiada do livro "Bem vindo à sabedoria do mundo", de Joan Chittister. No capítulo ela fala sobre "o que nos leva a ser bem- sucedido?".
"A tradição budista nos fornece um modelo de sucesso que muitos chamariam de fracasso:
Uma vez, Tetsugen, um seguidor do zen no Japão, resolveu publicar os sutras sobre a vida de Buda, em japonês. Naquele tempo, os sutras só estavam disponíveis em chinês. Traduzir e publicar esse trabalho em japonês seriai, então, um projeto de grande significado, cujo valor seria aplaudido em todos os lugares.
Os livros seriam impressos com blocos de madeira, em uma edição de sete mil cópias, um empreendimento tremendo.
TetsuGen começou a viajar e recolher donativos para esse fim. Uns poucos simpatizantes lhe deram uma centena de peças de ouro, mas, na maioria das vezes ele recebia apenas umas poucas moedas. Ele agradecia a cada doador com o mesmo reconhecimento. Por fim após dez longos anos esmolando aqui e ali, Tetsugen conseguiu o dinheiro para sua tarefa.
Aconteceu que, naquele mesmo tempo, o rio Uji transbordou. E, por consequência, houve escassez de alimento. Tetsugen pegou o dinheiro que havia conseguido para publicar os livros e o usou para salvar os aldeões ribeirinhos da fome e da morte.
Então começou outra vez a pedir dinheiro para produzir os sutras.
Demorou sete anos até que Tetsugen conseguisse o dinheiro para iniciar a tarefa. Mas, assim que o conseguiu, uma epidemia se espalhou pelo país. desta vez, Tetsugen gastou o dinheiro que havia juntado para ajudar os doentes.
Após mais vinte anos pedindo dinheiro, por fim ele poderia publicar os sutras em japonês.
Os blocos de madeira que produziram a primeira edição dos sutras ainda podem ser vistos no monastério de Obaku, em Kyoto. Mas hoje em dia, os japoneses contam a seus filhos que Tetsugen fez três conjuntos de sutras e que os dois primeiros conjuntos invisíveis, superaram o último.

Uma passagem singela e que nos faz refletir: quando olhamos para trás e nos perguntamos o que realizamos na vida, ao que dedicamos nosso coração, haverá apenas uma lista de pertences e um balanço bancário a apresentar? Ou haverá talvez um ser faminto, um doente, uma pessoa solitária sobre a qual podemos dizer, a nosso favor, que, se não tivéssemos existido, a vida dessa pessoa seria muito mais pobre (e entenda-se aqui não só a pobreza do pão)?
No fim o que conta é o modo como fazemos as coisas que devemos fazer."

E, copiando madre Tereza de Calcutá: Se não pudermos fazer grandes coisas, façamos pequenas coisas, mas com muito amor!

Estamos na Lua Nova

Essa fase da lua é considerada como um ponto de partida, temos em nosso ser o vigor dos novos começos. É um momento de ver as possibilidades e reservar um tempo para programar o que deve ser feito, pois, nessa fase, nossa alma está mais ligada ao inconsciente, a intuição está aguçada, conseguimos ouvir as vozes de nossa verdade interna, difíceis de serem escutadas quando nosso lado racional nos domina. Tempo de confiar no que está por vir.
Simbolicamente a vida está recomeçando. É como se a cada mês tivéssemos a oportunidade de dar um passo em direção ao novo. É uma ótima fase para iniciar projetos e atividades novas, mudar hábitos, experimentar maneiras diferentes de fazer as coisas. Boa lua para começar a poupar, iniciar um novo curso ou trabalho (aliás é uma ótima lua para procurar emprego), começar reformas ou construções. Mudar de residência na lua nova inspira renovação, mas lembre que é uma lua misteriosa, ligada ao inconsciente.
Tenha coragem de levar adiante seus objetivos, comece aquela caminhada, mude para uma alimentação saudável, inicie uma atividade prazerosa a você. Sabe aquele curso que vem sempre adiando? Inicie na lua nova. Exponha suas idéias. Conheça pessoas diferentes, é uma ótimo período para isso.
Veja a noite escura da lua nova como um útero pronto a receber o óvulo que fará germinar a vida...

segunda-feira, 8 de março de 2010

Mensagem para as mulheres

Hoje dia 8 de março se comemora o Dia da Mulher, mas acho que mais importante do que a midia faz ou, os presentes que "por acaso" lhe derem, é a sua própria convicção do valor imenso que você tem, a mulher traz em si o poder de amar, nutrir e proteger outros seres.
Bri. Maya Tiwari, diz em seu livro " O caminho da prática", que as mulheres sempre foram consideradas guardiãs das práticas que conduzem a uma vida mais saudável, assim, quando fortalecemos nossa saúde e nosso poder espiritual, estamos também fortalecendo a saúde e a sabedoria dos homens, das crianças e das comunidades que nos cercam. Hoje pense nisso e se fortaleça, busque dentro de você essa força do feminino que vem da Mãe natureza e já é inata em nós mulheres, dê a si mesma alguns presentes, mas não presentes que você compra, mas sim presentes onde você age e faz por você mesma.
Cito aqui algumas formas pra você fazer isso, algumas são minhas, outras tirei do livro " Mulheres que correm com os lobos, de Clarissa Pinkola Estés, editora Rocco:
...reler trechos de livros e poemas isolados que lhe comoveram. Ver novamente aquele filme em que quando terminou, deu vontade de começar de novo. Passar até mesmo alguns minutos junto a um rio, um córrego, um regato (vale até mesmo o lago do Jardim Botânico). Ficar deitada no chão, observando o passar das nuvens. Ficar com quem ame, sem ninguém por perto para incomodar. Sentar na varanda tricotando, tomando um chá, ou simplesmente, não fazendo nada, só deixando o tempo passar. Caminhar ou passear de carro por uma hora, em qualquer direção, e depois voltar. Apanhar um ônibus qualquer, com destino desconhecido. Tocar um instrumento, cantar bem alto ou dançar , sem medo de ser feliz. Assistir ao pôr do sol. Ir de carro a um lugar onde as luzes da cidade não prejudiquem a visão das estrelas. Orar com fé. Estar com uma amiga especial ou amigas especiais. Ficar sentada numa ponte com as pernas balançando no ar (aqui vale de novo a do jardim botânico). Sentar-se num circulo de árvores. Secar o cabelo ao sol. Brincar na chuva. Plantar, mexer na terra. Contemplar a beleza de uma flor. Embelezar-se para você mesma, colocar uma roupa que se sinta muito especial (adoro vestidos), passar perfume, cremes, mesmo que você vá ficar em casa. Sentar-se junto a uma janela num café e escrever, escrever o que vier à cabeça, escrever para uma amiga ou amigo distante no tempo ou fisicamente...tantas coisas simples a se fazer, não acha? E, não precisa ser só hoje, faça algo assim em todas as vezes que sentir que está se afastando dessa força e alegria do feminino!
Se você tiver mais dicas, mande pra mim.Vou adorar compartilhar!
Feliz dia da mulher!

Estamos na lua minguante

Dia 07/03, entramos na lua minguante, chamada de "lua sábia, a minguante leva consigo a sabedoria do tempo. É um momento que pede recolhimento, devemos relaxar, dispersando a energia acumulada durante a lua cheia.
Devemos avaliar as conquistas e os fracassos, perceber o porquê de não termos consguido fazer o que queríamos mas, sem nos desgastar em solucionar, agora, situações não resolvidas. Se soubermos parar para meditar, descansar, as soluções aparecerão brotando dessa calma da energia da minguante. Então respeite esse tempo, planeje mas deixe para agir com mais vigor e para iniciar projetos novos na lua nova.
Os últimos dias da minguante são chamados pelos astrólogos de "lua balsamica". É uma fase de cura, restaurações, rejuvenescimento.
Aproveite para finalizar o que começou. É um ótimo período para fazer aquela faxina em papéis velhos, arrumar gavetas e guarda-roupas, se desfazendo de tudo que não usa mais e que às vezes só está ali por termos pena de nos desfazer. É também a melhor fase para terminar um relacionamento.
Recolha-se, medite, ande por parques observando a natureza, ouça músicas relaxantes, aproveite para ficar com você mesmo (a).

segunda-feira, 1 de março de 2010

Mensagem da semana

Este texto recebi por email,achei muito bonito e quis compartilhar com vocês algumas partes:
Eu temia

Eu tinha medo de fracassar,
mas percebi que só fracasso se desistir.

Eu tinha medodo que as pessoas pudessem pensar de mim,
até que eu percebi que o que conta realmente é o que eu penso de mim mesmo, com consciência, lucidez e humildade.

Eu temia as perdas,
até que aprendi que as perdas não representam o fim, mas o inicio de um novo ciclo.

Temia ser ferido em meus sentimentos,
até que aprendi que ninguém consegue me ferir sem a minha permissão.

Temia as mudanças,
até que percebi as mudanças pelas quais tem que passar uma bela borboleta, antes de poder voar.

Eu ainda tinha medo de ficar só,
até que aprendi que a única pessoa que estará comigo em todos os momentos de minha vida sou eu mesmo.

Vamos enfrentar cada obstaculo à medida que apareçam em nossa vida, com coragem e confiança!
e lembre sempre de sorrir!

Boa semana!
Namastê!


domingo, 28 de fevereiro de 2010

Rituais para o período de lua cheia

Em seu livro, O caminho da prática, de Bri. Maya Tiwari, editora Rocco, pág. 112, 113 e 114, a autora nos ensina alguns rituais para restaurar os ciclos naturais de nosso corpo, invocando a abundância e a fertilidade.
Ela chama esses rituais de sadhanas, que quer dizer "práticas cotidianas saudáveis que seguem os ritmos cíclicos da natureza. Prática espiritual para despertar o poder da consciência. Resposta alegre e saudável à vida" (mesmo livro, pág. 379).
Sadhanas da lua cheia:

Nos três primeiros dias da lua cheia, no início da noite faça as seguintes práticas;
* A postura de cócoras: afaste seus pés, podendo deixar os pés voltados para fora e fique na postura de cocóras, com seus joelhos afastados e flexionados, se for difícil para você, apoiar os calcanhares no chão, coloque uma almofada ou cobertor dobrado embaixo dos pés, você pode também encostar as costas na parede se acchar masi fácil. Na postura de cócoras, incline-se levemente à frente, até conseguir apoiar as mãos no chão e, depois de esvaziar vigorosamente os pulmões, inicie um ciclo de respirações profundas e lentas, tentando permanecer assim por uns 5 minutos.
* Kapalabhati - a respiração do fogo: a respiração é um exercício de purificação para todas as pessoas, o kapalabhati faz uma purificação em nosso cérebro, kapalabhati quer dizer, em sânscrito, cérebro brilhante. No kapalabhati a inspiração é passiva e a exalação é bem ativa: você deve soltar o ar com vigor, pelas narinas como se levasse um leve soco no estômago, não se preocupe com a inspiração, ela acontece automaticamente quando você solta o ar. Para o kapalabhati, você deve sentar-se numa postura que seja confortável , de preferência no chão, ou almofada. Você pode iniciar com 18 repetições, descansa, respira profundamente e depois repete mais duas vezes de 18 ciclos. Quando se tornar fácil, você vai aumentando o nº de respirações em ritmos múltiplos de 9 (por exemplo: 3 ciclos de 27 ou 36, etc.) ;
* Banhando-se nos raios da lua cheia: Na 3ª noite da lua cheia aproveite para se banhar ou passear ao luar, ou para se sentar em meditação, sob a luz da lua cheia. Você pode fazer isso sozinha(o) ou em grupo. Bri. Maya, diz que procura reunir suas alunas nessa fase, para se sentarem em círculo e entoarem mantras para a Mãe Lua, reverenciando a energia da Mãe Divina através do canto.

Marque estes dias em seu calendário lunar, para lembrar-se dos sadhanas da lua cheia!

Estamos na Lua Cheia

A lua cheia é um transbordamento de luz. Aqui questões indefinidas se esclarecem e o que estava oculto se revela. Sucesso e fracasso serão revelados com toda sua força. Se tivemos perseverança, diante dos obstáculos surgidos durante a lua crescente, agora é hora de colher os frutos. Da mesma forma, se esmorecemos e deixamos a peteca cair, agora a sensação é de frustação e ansiedade.
O humor das pessoas e seu estado de espírito se alteram nesse período, devido ao grande magnetismo que a lua exerce sobre o planeta nessa fase .As reações emocionais se tornam mais intensas e a sensualidade fica à flor da pele.
É um período bom para mudar de residência e abandonar hábitos antigos.
Tudo que envolva relacionamentos (não procurando querer resolver assuntos sérios e que possam levar à discussões, durante os dias da lua cheia), estão beneficiados: festas, encontros amorosos, palestras, workshops, congressos. É um bom momento para divulgar idéias e para contato com o público.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Thai yoga massagem

Olá, nos dias 20 e 21 de março, sábado e domingo, a instrutora de Thai yoga, Dollores D'Ferre, estará no Espaço Ánanda aplicando a Thai yoga massagem.
Se você deseja experimentar esta milenar técnica de massagem, agende seu horário pelo email anandaespaco@gmail.com ou elidalua@gmail.com

Ela estará atendendo nos seguintes horários:
Sábado: 9h, 11h, 14h e 16h
Domingo: 9h, 11h e 15h

Importante: pedimos que ao enviar o email agendando a massagem,deixe seu telefone para confirmarmos seu horário e passarmos o endereço do Espaço Ánanda

Promoção especial para você conhecer o Thai yoga: R$ 40,00 a sessão

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mensagem da semana

Perguntaram ao Dalai Lama...
"o que mais o surpreende na Humanidade?
E ele respondeu:
- Os homens...porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem anciosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro...
...e vivem como se nunca fossem morrer...e morrem como se nunca tivessem vivido

Lua Crescente (21/02 a 27/02)

Estamos na lua crescente, é tempo de sair do lugar. É um período de tensão, mas também de oportunidades. Não é tempo de se iniciar nada, há muita competição no ar e não há garantias de resultados. É bom para solidificar projetos, investir em negócios já existentes, sendo perseverantes, estruturando e tornando prático oque antes era apenas sonho e ideal. Não é hora de agir por impulso, mas sim para adaptar nossos projetos às circunstâncias externas e tirar proveito delas.
Não é hora também de desistir, duvidar, hesitar, é momento de concentrar forças, evitar dispersão e não deixar a peteca cair.
Bom período para assinar documentos importantes, para acordos e parcerias comerciais e para apresentar projetos e idéias publicamente.
Cumpra seus compromissos, não adie telefonemas, lembre-se, tudo no Universo luta para sobreviver.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Thai Yoga massagem



Thai Yoga Massagem

Originária de templos budistas (conhecida por Nuad), esta massagem compõe-se de uma seqüência complexa de pressões nos tecidos moles, alongamentos, compressões rítmicas e balanços em todo o corpo.
Realiza-se no solo sobre colchonetes com a pessoa vestida e não utiliza óleos. São numerosas manobras, seguindo trajetos vitais, aumentando a flexibilidade, liberando a tensão profunda e superficial e ajudando o corpo a fluir mais livremente.
Enfatiza-se o estado meditativo, o ritmo e a sensibilidade.
A base da Thay Massagem é a manipulação interativa do corpo, usando alongamento passivo, movimento articular e gentil pressão nos pontos ao longo das linhas de energia.
Estes movimentos auxiliam a:
- reajustar a estrutura óssea;
- aumentar a flexibilidade;
- aliviar tensão nas articulações e músculos;
- estimular os órgãos internos;
- aliviar estresse e tensão física/mental e emocional.

Isto é Qualidade de Vida!

Informações: anandaespaco@gmail.com

Helida R

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A Lua e suas fases



Como usá-las a nosso favor.


Segundo os astrólogos, a lua exerce uma das mais importantes influências sobre a nossa personalidade e sobre nosso comportamento. Ela representa a infância, as raízes, a intimidade e as necessidades emocionais.
Outra associação é com a figura materna. Nosso primeiro vínculo com o mundo é a própria mãe, seus cuidados, sua atenção, seu carinho e seu calor. Esses padrões, considerados a base do desenvolvimento da personalidade estão expressos no mapa astrológico individual de cada um pela posição da lua em um signo e pelos aspectos que ela forma com outros planetas. No mapa astral a lua representa o inconsciente, a memória e a bagagem que trazemos do passado. Também, segundo a astrologia, para a mulher significa a imagem de feminilidade e maternidade. Para o homem mostra o tipo de mulher que o atrai e nutre suas emoções.
Os antigos utilizavam as fases da lua para explorar diversas atividades, como semeadura, colheita e oferendas aos deuses. Aqui coloco várias sugestões de como podemos utilizar a influência da lua para nos ajudar em nosso dia a dia.

Estamos na Lua Minguante, até dia 13/02
Chamada de “lua sábia” a minguante leva consigo a sabedoria dos tempos. Essa fase inicia quando a luz solar refletida na lua começa a diminuir progressivamente. O brilho se extingue e o momento pede recolhimento, para que tenhamos dentro do nosso coração a compreensão da maturidade e do descanso. Entra-se numa fase que os astrólogos chamam de “disseminadora”. Nesse período devemos relaxar, dispersando a energia acumulada durante a lua cheia. É o momento de se avaliar as conquistas e fracassos (o que não aconteceu até aqui, precisará do próximo período para que aconteça, não devemos nos desgastar, portanto, em querer solucionar situações não resolvidas). O momento é para avaliar atitudes, perceber porque fomos ou não bem sucedidos, calcular perdas e ganhos e deixar espaço para na lua nova virem novos projetos. Os conflitos e crises perdem a força e os problemas tendem a diminuir. Como estamos mais flexíveis, podemos achar soluções diferentes para situações não resolvidas anteriormente. É o momento de avaliação do que foi realizado, de descanso. Momentos de recolhimento são muito benéficos e nos estimulam a entender melhor nossas emoções.
Os astrólogos chamam os últimos dias da lua minguante de “lua balsâmica”, é como se fosse um bálsamo para acalmar os mais inquietos. É uma época de cura, restaurações, rejuvenescimento. Uma energia sutil e suave, com tonalidades de azul e malva, toma conta do nosso corpo. Começamos a viagem de volta ao inconsciente que chega com a lua nova. Não é hora de iniciar coisa alguma, mas de descansar. Fase para meditar, concluir, terminar o que começamos.