quinta-feira, 29 de abril de 2010

Mensagem da semana



" Existe um estado de ruptura a partir do qual emerge aquilo que é inteiro.
Existe uma fragmentação da qual brota o impossível se ser fragmentado.
Existe uma tristeza que está além de toda dor e que conduz à alegria.
E uma fragilidade de cujas profundezas emerge a força.
Existe um espaço oco que é grande demais para ser descrito,
o qual temos que atravessar a cada perda que sofremos,
e em cuja escuridão somos confirmados para a existência"
Poetisa Rashani




Foto por Daniel F Florêncio

5º Yama - Aparigraha


Aparigraha quer dizer ausência de cobiça, a não possessividade. Ele se traduz melhor quando pensamos em aparigraha como desapego e generosidade. Não ter apego por coisas, nem por pessoas, nem por resultados das coisas que acontecem.O sentimento de posse traz sofrimento, pois quando nos vemos sem o objeto desejado (pessoa ou coisa), nos tornamos tristes, ansiosos. Devemos lembrar do ensinamento budista da impermanência de todas as coisas, nada do que é impermanente pode ser a felicidade num sentido mais profundo.
Podemos praticar a ausência de cobiça praticando a generosidade em atitudes simples: dar, sem querer receber algo em troca, doar aquelas roupas que estão há anos guardadas, sem serem usadas, dar um sorriso sem esperar o sorriso de volta, dar compreensão, antes do querer ser compreendido. Enfim, dar o melhor de você, sem esperar que o outro veja, elogie ou faça igual. Desapego dos resultados. Isto não quer dizer deixar d e sonhar e planejar, mas sim, não fazer disso o essencial à vida.
Aparigraha também significa receber cada momento que surge com uma atitude generosa e paciente.

4º Yama - Brahmacharya - continência


Olá, na semana passada fiquei devendo a atualização do nosso blog, então nessa semana coloco os dois últimos Yamas: bramacharya e aparigraha.
Bramacharya, num sentido mais profundo é o não desvirtuamento da sexualidade. Segundo Marcos Rojo, professor de yoga, o sentido social do princípio de bramacharya é a moderação, que vai da alimentação ao sexo e até mesmo ao uso do dinheiro. Comer em excesso, se deixar levar por um consumismo exagerado, ter vários parceiros sexuais é ir contra bramacharya.
Pense em bramacharya como caminhar com Deus, ou permanecer num comportamento que respeita o Divino como sendo onipresente.

sábado, 17 de abril de 2010

Receita de chá de abacaxi, torta de maça e torta vegana de uva

Que tal uma receitinha gostosa e fácil de fazer pra adoçar seu fim de semana?
CHÁ DE ABACAXI*
Você vai usar:
* Um abacaxi médio
* 4 a 6 colheres de açúcar mascavo
* pedaços de canela em pau e cravos da índia (a gosto)
* 4 a 5 sementes de cardamono (opcional)
* 2 litros de água (fervida com a casca do abacaxi por uns 15 minutos)
Como fazer:
Descasque e lave bem as cascas do abacaxi e coloque-as a ferver nos 2l de água.Corte o abacaxi em cubinhos e coloque em outra panela junto com o açúcar mascavo, cravo, canela e cardamono. Misture e deixe refogar um pouquinho no fogo brando para caramelizar (até levantar uma espuma). Coloque a água fervida e coada com a casca e deixe fervendo em fogo baixo até pegar bem o gosto do abacaxi. Pode ser tomado frio ou quente.

TORTA DE MAÇA E TORTA VEGANA DE UVA:
Massa (tipo farofa) (receita tradicional):
misture 2 1/2 xícaras de farinha de trigo, 1 xícara de açúcar, 1 xícara de maizena, 1 colher (chá) de fermento em pó, 1 colher(chá) de canela em pó. Acrescente 1 ovo, e 150g de manteiga. Misture bem com as mãos até ficar uma farofa.
Massa vegana:*
3 xícaras de trigo integral fino, 1 xícara de açúcar mascavo, 3/4 de xícara de óleo (de preferência óleo de milho ou girassol), 1 colher (chá) fermento em pó, 1 colher (chá) canela em pó.

Recheio tradicional de maça:
Bata no liquidificador 1 lata de leite condensado, 2 gemas e 5 colheres de suco de limão. À parte descasque e corte em fatias finas 1 1/2 maça.
Se você optar por uma receita vegana*, substitua o creme de limão e as maças por uva rosada (4 xícaras, tire as sementes que fica melhor) polvilhadas com canela em pó.
*a receita vegana e o chá de abacaxi são do livro Vegetarianismo Sustentando a Vida, de Mª Laura Garcia Packer (ótimo livro por sinal)

Montagem:
Na forma untada coloque metade da farofa, apertando com as mãos até forrar o fundo da forma. Por cima coloque o creme de limão e maçãs picadas (sem casca). Se for a torta vegana, não utilize o creme de limão, só espalhe as uvas em cima da farofa e polvilhe a canela em pó. Coloque o restante da farofa e leve a assar em forno médio por 30 a 40 minutos (dependendo da potência do seu forno).

Bom apetite!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Mensagem para o fim de semana


É tão bom quando chega a sexta a tardinha, então sabemos que temos dois dias e meio (porque a noite de sexta já parece a metade de um dia) inteiros para nós.Mas você já notou que às vezes pensamos assim no fim da sexta e quando notamos já é domingo à noite, e aí vem aquele pensamento, ai, já acabou o fim de semana. Por que passa tão rápido? Acho que porque passamos o dia sem estarmos realmente presentes no que fazemos, porque acabamos na correria de novo, trabalhando pra lá e pra cá (pra aproveitar o fim de semana, que ironia não é?)
Que tal se propor nesse fim de semana fazer diferente? Que tal sair e fazer algo totalmente novo? Conhecer aquele café que você já passou um monte de vezes na frente e nunca entrou? Ou quem sabe visitar alguém que há muito tempo não vê, se não puder visitar, que tal escrever uma carta? Quem sabe se dar ao luxo de ter um dia de spa em sua própria casa, faz uma lista do que precisa para cremes e banhos, vai cedinho comprar o que precisa e depois, desliga tudo e cuide de você, fazendo só o que tem vontade de fazer. Que tal pegar uma toalha de mesa, uma cesta , encher de guloseimas, quem sabe até um vinho bom e fazer um piquenique? Se não tiver companhia, não se amofine, leve um bom livro e se permita deitar na grama, e se deliciar com a sua própria presença, com o céu azul lá no alto. Se nenhuma idéia lhe agradou, invente algo, deixa a imaginação fluir, mas faça algo diferente, você vai ver como o fim de semana fica "compriiiido". Mas lembre, deguste cada momento com plena atenção.
E copiando Pablo Neruda: "...viva hoje, arrisque hoje, faça hoje. Não se deixe morrer lentamente. Não se esqueça de ser feliz!"
Tenha um lindo final de semana!

3º Yama - Asteya


O 3º yama é asteya, não roubar. Você deve estar pensando, este yama é fácil, eu não roubo, não há nenhum esforço em cumpri-lo. Que bom não é? Já estamos um passo a frente em nossa busca na evolução. Realmente, asteya traz o mandamento de não roubar, mas ele não se refere só ao não roubar propriedade alheia, ele inclui não roubar idéias e o não cobiçar o que é do outro, esse yama traz imbutido a idéia do desapego.
"Residindo na ausência de cobiça pelo que não nos pertence (asteya), tudo que é preciosos se revela, e tudo que é benéfico é livremente oferecido", Resumindo: Quando há apego e cobiça pelo que é do outro, se praticarmos asteya, teremos prosperidade.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O 2º Yama - Satya


Quando há mentira e medo, se praticarmos satya, obteremos poder de realização.
Mas o que é satya? Satya é veracidade, é o amor à verdade. Enquanto ahimsá baseia-se no amor, satya baseia-se essencialmente em fazer coincidir nossos pensamentos com nossas palavras e atos. Por exemplo, se acreditamos que a fidelidade é essencial em uma relação, então seremos fiéis, pois essa é a nossa verdade. Se falamos aos outros que a paz no mundo começa dentro de nosso coração, depois envolve as pessoas de nossa família, as de nosso convívio e depois pela nossa semente, pode se espalhar pelo mundo, então faremos o possível para que essas palavras coincidam com nossos pensamentos e se reflitam em nossos atos, pois essa é a nossa verdade.
Em seu livro sobre Yamas e Niyamas, Matthew Vollmer, escreve: "as palavras de uma pessoa firmemente estabelecida em satya, tem o poder de evocar virtude em outros". Ouvir palavras que expressam a verdade nos ajuda a experimentar a verdade dentro de nós.
Então, procurando viver em satya, trazendo sempre à tona a coerência entre o que pregamos e fazemos, não somente nos ajuda a viver melhor, mas também contribui para o bem estar de todos com quem cruzarmos o caminho. E se cada um de nós procurar viver assim, então seremos capazes de mudar o mundo inteiro. Quando nos comprometemos com a verdade ocupamos nosso pensamento com o que é essencial.
Os yamas e niyamas se entrelaçam de uma maneira integrada. Sendo assim a verdade sempre deve estar alicerçada no bem e deve ser dita não para ferir, mas sim para beneficiar. Há maneiras e maneiras de se falar a verdade, e devemos fazê-lo sem machucar, pois se ferimos, não produzimos harmonia, apenas sofrimento.
Gandhi dedicou sua vida a dois yamas: ahimsá (a não violência) e satya (a veracidade) e através dessa dedicação ele dominou a si mesmo e conseguiu a independência da Ìndia.
Quando se está firme em satya, meditamos com o coração puro e tudo que precisamos vem ao nosso encontro.

"Conhecerás a verdade e a verdade vos fará livres" (Jesus)

terça-feira, 6 de abril de 2010

Mensagem da semana

Hoje o dia amanheceu tão frio e úmido e alguém me disse "disseram que hoje vai fazer sol", respondi "só se for do outro lado do planeta", sem nenhuma esperança que o dia fosse ser diferente.
E agora, olhando pela janela, observando o sol lá fora e o azul claro do céu entre as nuvens, pensei, tenho que escrever sobre isso, a chuva passou, o frio continua um pouquinho, há um vento suave lá fora (acho que esse vento suave levou as nuvens de chuva embora) e tudo mudou e lembrei do que me disseram hoje cedo (hoje vai fazer sol).
Assim acontece às vezes em nossa vida, quando acordamos naqueles dias tristes (frios e úmidos em nosso coração) e alguém nos diz "coragem, isso passa" (o sol vai brilhar hoje), geralmente pensamos "diz isso porque a dor não é sua"(só se for do outro lado do planeta). Mas quando deixamos que o vento suave de nossa fé, fé em Deus ou se você preferir, numa energia maior, divina, que nos protege, quando deixamos que o vento suave da fé em nós mesmos nos oriente e traga novamente aquela confiança que tudo sempre vem para melhor (por pior que seja a tempestade) conseguimos sentir que o sol pode sim voltar a brilhar, que o céu azul pode voltar a aparecer, brilhando suavemente entre as nuvens brancas...acredite, tudo passa, tudo muda.

E mais ou menos como li numa frase de Ghandi "Viva como se você fosse morrer amanhã e busque conhecimentos, vida, aprendizado, amor, como se você fosse viver eternamente"

Namastê! Um lindo dia de sol em seu coração!